Los Andes Sagrados

Los Andes Sagrados

lunes, 21 de septiembre de 2015

Chega o dia 22 pleno de Iluminações!

 
Ah... sente, negrito, sente, negrita, este velho avô chora. As coplas que canto, não as canto por cantar, me as ensinaram a terra, por isso canto aos ventos. Viva a Vida!

Sou todos os seres, venho em cada instante, porém, sobretudo no silêncio do monte, nos altos cumes dos Andes, me encontrarás sentadinho mascando folhinhas de coca e sendo o canto dos condores.

Somos todos irmãos da mesma senda, deste mesmo tempo. Ah... não esperes mais, esta hora é a hora. É nosso tempo, sinto a flama, o ardor sagrado consumindo toda a dúvida e o medo. Vem, vamos agora, que esperar não é saber. Recordas?

Recorda a valentia, recorda este instante que traz a sagrada Presença, vem com o ânimo de defender a alegria e a Amazônia. Tudo é o mesmo. Iluminações e cuidar da Pachamama são uma e a mesma ação.

Parece que já saboreio o novo amanhecer, o dia 22, e tu, nós todos mergulhando, deleitando-nos em ISTO MESMO. E criando o dia 22, com seus desafios. Aspirando o aroma selvagem do novo dia, e embriagando-nos de Sol e de Iluminações e sem sair mais do Jardim de Maitreya.

E receber cada dia com o sorriso franco, com os braços prontos para um abraço, com a bondade como uma chama querendo sair e, acesos de humanidade, vencer a insensibilidade, o progresso, a ilusão da separatividade, e, assim, queridos amigos, descansaremos sobre as brancas pedras e sorriremos para a morte, felizes por haver cumprido a promessa.

Vem, dá-me um abraço, um beijo, e vamos!

VENCEREMOS!

Lucidor Flores

www.nacionpachamama.com

No hay comentarios:

Publicar un comentario