Los Andes Sagrados

Los Andes Sagrados

lunes, 5 de enero de 2015

Um olhar sem morada...

Relaxa o coração
detrás de todo o medo
não há mais medo!

Um olhar que como rede una a todos e tudo, um olhar sem chão nem céu.Teus olhos, meus olhos, os olhos buscam isso que nos faz tirarmos os sapatos para elevar o olhar a este vasto universo – somos como pássaros bebendo ar – um olhar sem chapéu nem sapatos... 
Um olhar que vença todas as ausências e se esparrame no silêncio e olhe fundo... E que experimente esta graça de pão anterior à farinha, que veja esta chama violeta que desce...
Sinto este momento, digo e nos digo que, se agora morresse, ninguém acompanharia o fim do corpo, esta vasta Vida seguirá enamorando. Não ficaria ninguém e, contudo, o sol seguiria iluminando este simples Amor...
Será por isso que amar a Vida se parece a resgatá-la?
Sem palavras que encadeiam com lógica o que não tem morada... a isto que, como um amor secreto, tem dois extremos mas uma só entrada... silêncio amoroso é sua entrada, a terceira porta... a única porta que interessa... A do nascimento e a da morte estão garantidas... Esta terceira porta há que  conquistá-la... seduzi-la, enamorá-la com quietude e assombro...
Deixamo-nos cair para dentro, sem eleger onde, sem morada... porém há certa forma de rumo misterioso que move os cabelos, certa respiração alterada, uma ponta de consciência que testemunha este azul infinito... do Deus da Vida.
Sem nome, com nome, talvez sem forma, como de fumaça, como sem vento... como recém chegar, sentir-se cômodo e não saber mais... sem solidão... Esta existe quando moras na mente... um olhar sem morada... sem pedaços de palavras, sem meias carícias... sem morrer... sem nascer...
Este único caminho é aonde chegam todos os caminhos... e sabe: só há um destino, amar em liberdade... dissolveremos tudo o que impede de viver plenamente a comunhão com Ele, que não tem morada e que se expressa sempre novo na hora sem saída...
Sem saída... sem fugir... sem esconder-se da Vida... sem retroceder nem desandar... se entra em tudo... sem tratar de rejuntar os pedaços de ti... olha sem morada, sem opinião, sem palavras, deixando que a Vida chegue a ti... aberto e com olhos de sensibilidade bem abertos...
E diz-me: O que vês, sentes, percebes?
Sim! Não necessitas dormir mais. Levamos nas mãos um ramo da cor dos meninos alegres. Entre espirais se levanta clara e sem embalagens esta fecunda saliva de Deus... talvez não a escutes, mas a sentirás por certo... vai por teu interior como uma formiguinha percorrendo de ponta a ponta teus universos e despertando o homem e a mulher novos.
A totalidade sem centro está aqui, convidando a deixar de fugir na cinza ausência, olha, olha, olha!!! Os véus caíram e sem pele sentes esta água clara que flui em toda a vida, como uma vertente profunda de amor e liberdade...
Vem, bebamos juntos até embriagar-nos!

Lucidor

Prática dos 21 dias - de 1º a 21 de março 2015
Informações: misticaandina21dias@yahoo.com.br

No hay comentarios:

Publicar un comentario