Los Andes Sagrados

Los Andes Sagrados

viernes, 16 de agosto de 2013

Uma gota de dança cheirosa...


Ganhamos a solidão por tanto defender opiniões, e fomos construindo este castelo de opiniões e razões e saímos da dança...
No fogo, na água, na terra e no vento cantor, esconde-se a primavera dançante da Pachamama... e nós, pobres irmãos ignorantes, a perdemos pela razão e por este vício que chamamos pensamento... e assim, ganhamos a solidão.
Como uma ausência, tornando opaca a vida, com palavras racionais, mas sem sentido e sem sentimento, nem beleza... e assim, a compreensão e o valor da dança da vida se perderam em nós, e se esconderam debaixo do debaixo...
Buscávamos, quiçá, o movimento original e nessa busca de Amor perdemos tudo, e agora, chega, trazida pela alma vaga-lume dos instantes, o convite de novo a dançar, a entregar-se ao movimento dos átomos harmônicos e cheirosos das emoções inocentes...
E quiçá esta humilde gota de devoção que escreve, te toque com sua lágrima humilde o anoitecido coração, e, assim, soltes a cabeleira essencial, e sintas novamente aquela ânsia de dançar, de rir de nada, de sentir que tudo é possível e que somos novamente jovens e vibrantes, e a primavera haverá feito seu mistério novamente...
E assim, amado, amada, recebe esta gota de instantes de sol e canto de pássaros, e permite, solta o controle, a razão, a posição concreta e plena de construídas opiniões, e volta à casita selvagem e original, onde o colo da Pachamama te lembrará que és ainda um niño , desejando celebrar esta mínima passagem pela vida...
Não são estas palavras de maestro, senão são cheiros que convidam a sair à vida, e dançar, entregar-se a sagrada dança que transforma, sublima a solidão egoica de dormir acompanhado de razões... em uma gota de úmida sabedoria, uma rajada de infância neste ir envelhecendo... uma dança que impregna de sabedoria espontânea a este ir caminhando ao final...
Andamos pelos caminhos da necessidade, e nos perdemos por eles... porém, há um mistério não necessário que anda convidando-te a fundir-te, a sair do necessário e útil, e valorizar esta canção inútil, mas essencial, esta úmida dança de lágrimas de riso e encanto renascido...
Vem, vem, amado irmão, irmã e dança e solta tudo... que, se ao final está a morte, então, que esta vida seja vivida com graça de bailarino e com o amor que está aqui disponível, nesta fonte da graça...
Lucidor

Prática dos 21 dias - 1º a 21 de setembro de 2013.
Informações: misticaandina21dias@yahoo.com.br
www.misticaandina.com.br

No hay comentarios:

Publicar un comentario